jusbrasil.com.br
12 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Regional do Trabalho 13ª Região TRT-13 - Recurso Ordinário: RO XXXXX-89.2011.5.13.0025 XXXXX-89.2011.5.13.0025

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

2ª Turma

Publicação

Julgamento

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

USO DE CÂMERA EM VESTIÁRIO. ATO ILÍCITO. OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR. DESNECESSIDADE DE PROVA DO DANO.

O dano moral, para ser passível de indenização, não depende de demonstração do efetivo prejuízo, em face de sua subjetividade, devendo apenas ser comprovada a prática de ato ilícito, o que se caracteriza, no caso, pela instalação de câmera no vestiário dos empregados. Devida, nesse contexto, a parcela indenizatória perseguida pela empregada, embora em montante inferior ao postulado, em observância ao princípio da razoabilidade e às circunstâncias que específicas do caso. Recurso do reclamante parcialmente provido. Recurso da reclamante parcialmente provido. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. LEI Nº 5584/1970. REQUISITOS AUSENTES. Verificando-se que a reclamante não se encontra assistida por entidade sindical, não está presente o requisito essencial previsto em lei para concessão de honorários advocatícios, na Justiça do Trabalho. Recurso ordinário do reclamado a que se dá parcial provimento.
Disponível em: https://trt-13.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/639534033/recurso-ordinario-ro-883008920115130025-0088300-8920115130025